terça-feira, 21 de julho de 2015

Pernas cansadas



Cultivando com afeto e paciência as sementes da tolerância, a colheita ficará mais fácil quando os nossos passos estiverem lentos e o corpo não mais respondendo as expectativas dos pensamentos.


domingo, 12 de julho de 2015

Crianças...(situação 10)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma mãe)

- Filha, você não quer comer sendo que tem tanta gente passando fome!
- Dá para eles o meu prato mãe!

(Argumentos repletos de pureza)

"Aprendi a conviver com isto e admirar!"
Gentilmente cedida pela minha amiga Silvana Conterno)


Crianças...(situação 9)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma mãe)

- Mãe, por que você tão grande dorme com o papai e eu que sou pequena tenho que dormir sozinha...???


(Doces lembranças! Gentilmente cedida pela minha amiga Silvana Conterno)

Crianças...(situação 8)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência própria)

Eu olhava aquelas luzes de marcação na pista de asfalto e achava maravilhoso aquilo. Uma direitinha na frente da outra, brilhando!

- Pai, que bonita aquelas lâmpadas na pista. Não quebram se passar a roda em cima?
- Não quebram não meu filho. Aquilo é “olho de gato”.
Eu que já estava preocupado imaginando serem lâmpadas e que pudessem quebrar, daí que fiquei apavorado mesmo por ser olho de gato. Fiquei imaginando aquela quantidade incrível de gatos ali na pista e que seriam mortos.
- Pai, não passa em cima não! (falando apavorado)
- Não filho, “olho de gato” é o nome daquelas luzinhas. Se chamam assim por brilharem iguais aos olhos dos gatos. Fique tranquilo que não são gatos.


Lembro-me que fiquei realmente tranquilo após aquela salvadora explicação.


sábado, 11 de julho de 2015

Crianças...(situação 7)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de professora)

Durante a aula a professora percebe que Alexandre está tentando furar a sola do seu tênis com a ponta do lápis.

- Alexandre o que você está fazendo?
- Quero furar aqui professora.
- Mas isso vai estragar o seu tênis! Por que está fazendo isso?
Alexandre põe o dedinho em frente a boca
- Psiiiiuu professora, a mamãe não pode escutar.
- E por que a mamãe não pode escutar?
- Porque é segredo meu e do Papai Noel.


Crianças...(situação 6)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de pai)

Tarde da noite a Bia está com medo e chama o pai para ir ao seu quarto.

- Pai a Sofia (sua boneca) está com medo e não consegue dormir.
- O que está deixando a Sofia com medo filha?
- Ela disse que a janela está “muito de noite”.
- Que bom que ela falou filha, assim o papai acende a luz do abajur para ir embora o medinho dela. (o pai acende o abajur e fica uns dez minutos deitado com a Bia e sua bonequinha)
- E agora, já passou o medo da Sofia?
- Ela disse que já papai, mas pediu pra você esperar mais um pouquinho até ela dormir.



Crianças...(situação 5)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma mãe)

A criança fazia carinho nos cabelos da mãe que estava deitada no sofá, entretida com a novela.

- Posso brincar de cabelereira mãe?
- Pode filha, eu adoro você mexendo nos cabelos da mamãe!
“Segundos” depois...
- Olha mãe, já cortei um montão!  (Helena feliz mostra a tesoura e um chumaço de cabelos na mão)



Crianças...(situação 4)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma mãe)


A televisão noticiava a morte do nosso estimado “Dominguinhos”

Maria Clara:
- Existe também “Sabadinhos” mãe?



(Doces lembranças! Gentilmente cedida pela minha amiga Priscila Couto Zillo)

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Crianças...(situação 3)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma professora)

Professora trabalhando sobre animais, solicita as crianças que desenhem uma girafa

Depois de algum tempo:
Rafaela mostra o seu desenho e explica toda orgulhosa o que desenhou para a professora
Pedro Henrique também mostra feliz o seu trabalho
Na vez do Rafael, que sempre foi contestador, mostra todo alegre um belo desenho, bem colorido, com arvores, nuvens, sol, diversos bichos, porém sem a girafa.
- Rafael onde está a girafa?
- Ela acabou de sair professora.



Crianças...(situação 2)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir

História real (vivência de uma professora)

Professora trabalhando com as crianças, próximo ao dia dos pais, sobre as suas profissões

Professora:
- O que o seu pai faz Marcela?
Marcela:
- Ele é bombeiro
- E o seu pai Beatriz?
- Ele faz pão
- E o seu Felipe?
Felipe fica quieto
- E o seu pai Felipe o que ele faz?
- Pum!





Crianças... (situação 1)


Crianças... essas criaturinhas maravilhosas, que gosto tanto de ver e ouvir



História real (vivência pessoal)



Eu:
- Filho, você não está dando bola pro papai!

Dudu:
Foi até o quintal, pegou a sua bola e me entregou todo feliz.


Se achando demais


O ser humano quando quer tomar conta de tudo, incluindo aquilo que está além das suas possibilidades, coloca sempre a si mesmo e ao outro em sofrimento. 


Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas