quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Uma viagem libertadora


Tinha um imenso medo de amar
Era grande a vontade, mas não se declarava
Receando não ser correspondido

Assim foi sendo construída aquela muralha
Uma barragem que represava um imenso amor
Mantendo os seus sentimentos nos níveis do comedido

As possantes comportas da razão
Deixavam fluir apenas o suficiente para manter a vazão
Daquele amor avassalador, evitando o transbordamento

Sofria, muito!
Sem ter noção da dimensão do seu sofrimento
Enganava-se dizendo: perde-se “uma”, “outras” virão

O dia chegou e essa “uma” apareceu!
Sorriso meigo, olhar alegre e puro
O coração..., o mais aberto que se possa imaginar

Deixou-se envolver por aquela mulher
E seu coração subitamente deixou-lhe o peito
Viajando por sentimentos jamais vividos

Vivenciou a mais plena felicidade
Libertadora
Condizente com o dia a dia dos corações apaixonados

Agora, já curado do medo de se entregar
Poderá viver de verdade
As delicias do que é realmente amar





segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Padecer na fartura? Quanto sofrimento!


Tem gente que trabalha e infelizmente padece pela falta do dinheiro.
Outras padecem não pela falta de trabalho ou até mesmo do dinheiro, mas sim pelo fato de que o dinheiro é a sua própria doença.


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Chatice versão top




Tem pessoa que possui uma propriedade toda especial de camuflar a sua condição de chata "cinco estrelas".
Coloca-se de a "boazinha inquestionável"!
Assim reverte o quadro de sua chatice top de linha, criando um doloroso sentimento de culpa em suas vítimas.
Vai ter sentimento aversivo como, de uma complexa e bem elaborada falsa bondade dessa?


sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Início da morte


A morte inicia a sua funesta caminhada, no exato momento que o coração começa a falhar na sua delicada função de amar.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas