domingo, 8 de julho de 2018

Bancando a sorte


Bancando a sorte
Autor: Letra e música de João de Azeredo Silva Neto

Meu bem
Vou te cobrar um dote
Há de bancar a sorte
De poder me namorar

Porem
Preste bem atenção
Pois agora vou dizer
Como vai ser a prestação

Eu quero
Sussurrinho gostosinho
Em meu ouvido com jeitinho
Num clima de sedução

Pagamentos
Sempre com muita vontade
Sempre com muita alegria
Pra valer a emoção

Refrão

O pagamento
Será sempre em carinho
Sempre com muito denguinho
Se comigo quer ficar

O pagamento
Tem que ter cumplicidade
Firmado no Cartório
Do nosso coração

Refrão

Agora
Se quiser casar comigo
Um outro dote
Também há de me pagar

Quero
Uma casinha gostosinha
E uma rede na varanda
Prá nós sempre namorar

Depois
De muito tempo de varanda
O pagamento vira alma
Garantias de durar

Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas