domingo, 8 de junho de 2014

Daqui não saio!


Se eu sair daqui
vou deixar de ser vaqueiro,
e deixar de ser vaqueiro
eu não quero, nem por ordem do coveiro.

Minha casa é uma palhoça,
escondidinha aqui na roça.
Tem pouco espaço, não é vistosa,
mas pra mim é tão gostosa!

Lareira de fogão.
chão batido e vermelhão,
janela aberta pra compor
as lindas noites de amor.

Até que minha amada Lua nua,
feliz dos prazeres sem pudor,
diz-me formosa tão bela e pura:
eu volto, dorme tranquilo eu sou só tua.

Garnisé anuncia o amanhecer,
é linda a vista do terreiro.
Passarinhos cantam o dia inteiro,
daqui não saio, aqui quero viver.



Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas