terça-feira, 18 de novembro de 2014

O nariz do Bulhões


Uma vez conheci um nariz, um formoso nariz..., o “nariz do Bulhões”.
Seu nariz não era um nariz qualquer, com dois buracos convencionais. A forma e o estilo também não eram convencionais.
Para ser bem sincero, Bulhões não tinha nada de convencional, mas vamos nos ater só ao nariz, que já será de bom tamanho.
Certa vez ouvi dizer que Bulhões havia feito um seguro para o seu nariz, pois temia que algo pudesse acontecê-lo longe de suas vistas. 
Quando Bulhões necessitava de cuidados nessa área era sempre pra valer.
A ajuda tinha que ser de bom tamanho.
A voz do Bulhões também era algo diferenciada pois tinha uma voz grave, forte e anasalada. Parecia que vinha de suas entranhas.
A linha de perfil de seu nariz tinha um contorno único, digamos, generoso.
Começava próximo dos olhos, ia avançando e depois arredondando, mas... sempre avançando.
Quando atingia o ápice do avanço, a linha voltava subitamente para o rosto, terminando próximo dos lábios.
Esta descrição refere-se ao contorno.
Vejamos agora na largura. Eu diria que “de boas proporções”. Farto na largura e farto nas ventas.
Quando Bulhões assoava seu nariz é que se tinha a real dimensão desse quesito.
Os pelos daquelas grandes ventas eram aparados com constância e isso lhe dava um trabalho fenomenal. O acesso aos pelos era fácil, o difícil era dar conta da abundância.
Confesso que certa vez tive pensamentos mórbidos a respeito desse nariz e que até hoje me ressinto disso. Pensei na quantidade de algodão que um dia seria necessária para preencher aquele par de ventas.
Finalizando vocês poderiam dizer: eu não achei nada engraçado!
E eu lhe digo: é que você não conhece o nariz do Bulhões, ou será que conhece?

Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas