sexta-feira, 18 de abril de 2014

Feijão com ovo


Abelardo mal sentou-se no banquinho do balcão da padaria e Seu Manoel gritou para a cozinheira que soltasse o PF do Abelardo.
Abelardo contrapôs dizendo que iria só de média com pão e manteiga.
Seu Manoel ficou indignado, pois era um cliente tão habitual que a cozinheira até conhecia seu peculiar gosto de ser servido com o feijão sobre o ovo frito.
 Seu Manoel serviu e observou que Abelardo reforçou a média com bastante açúcar, costume muito utilizado pelos moradores de rua da região.
Seu Manoel aguardou que Abelardo concluísse o que estava comendo e lhe perguntou se estava acontecendo alguma coisa, e se poderia ajudá-lo em algo.
Abelardo disse-lhe que estava fazendo serviço de pedreiro em uma obra ali por perto.
Embora a mesma estivesse em fase de acabamento, estava tranquilo, pois já tinha acertado um novo trabalho para os próximos meses.
Porem com essa história da crise mundial, a pessoa desistiu de continuar a obra.
Desta maneira achava melhor apertar o cinto para não ter gastos fora de suas possibilidades.
A essas palavras Seu Manoel lhe explicou que aquilo não era necessário.
Que ele poderia comer a vontade e depois debitar a conta no cartão de crédito, ao que Abelardo constrangido lhe informou não possuir.
Seu Manoel acabou rindo e disse-lhe que era muito fácil obter um, e que ele não podia ficar naquela situação.
Comentou ainda que muitas daquelas pessoas que estavam ali comendo certamente iriam debitar no cartão de crédito, para pagar depois.
Abelardo pediu explicação a Seu Manoel de como poderia gastar no cartão se não tivesse o emprego garantido para pagar depois.
Seu Manoel explicou que o negócio era gastar. Gastar para que todo mundo pudesse ter como ganhar, e assim dar emprego pra outro, e isso é que faria com que ele não ficasse sem trabalho.
Nesse momento Abelardo até coçou a cabeça de tão confuso.
Perguntou ao Seu Manoel como faria se gastasse com o cartão e depois não tivesse o dinheiro para pagar.
Seu Manoel sem muitas reservas e intimidações lhe disse que se não tivesse como pagar era só não pagar, pois essas empresas já cobravam juros altos para os que pagam estar pagando pelos que não pagavam.
Abelardo ainda mais perplexo perguntou como ficaria então se todo mundo não pudessem pagar.
Seu Manoel lhe disse que essas empresas iriam então entrar em uma crise financeira e assim pedir dinheiro para o governo. Este por sua vez irá emprestar o dinheiro para ser pago a longo prazo, com juros baixinho, e assim evitar que a empresa quebre e não mande ninguém embora.
Aquilo era realmente muito complexo para Abelardo, que continuou perguntando quem então iria pagar o governo.
Aí sim Seu Manoel caiu na gargalhada dizendo: ora Abelardo o governo vai aumentar os impostos e novamente repor o dinheiro em caixa.
Abelardo perplexo e abalado saiu da padaria se questionando: então eu peço a média com pão e manteiga para bancar o pessoal comendo o meu feijão com ovo?   
Eu hein...



Seguir por Email

Translate

Total de visualizações de página

Estatísticas